Como se comunicar sobre a segurança das vacinas

Diretrizes para orientar os trabalhadores da saúde quanto à comunicação com pais, mães, cuidadores e pacientes

Paperback
January 2021
9789275722817
More details
  • Publisher
    Pan American Health Organization
  • Published
    8th January
  • ISBN 9789275722817
  • Language Portuguese
  • Pages 64 pp.
  • Size 8.27" x 11.69"
$35.00
Lib E-Book

Library E-Books

We are signed up with aggregators who resell networkable e-book editions of our titles to academic libraries. These editions, priced at par with simultaneous hardcover editions of our titles, are not available direct from Stylus.

These aggregators offer a variety of plans to libraries, such as simultaneous access by multiple library patrons, and access to portions of titles at a fraction of list price under what is commonly referred to as a "patron-driven demand" model.

January 2021
9789275722824
More details
  • Publisher
    Pan American Health Organization
  • Published
    8th January
  • ISBN 9789275722824
  • Language Portuguese
  • Pages 64 pp.
  • Size 8.27" x 11.69"
$35.00

Todos os anos as vacinas salvam entre 2 e 3 milhões de vidas e protegem toda a população contra mais de uma dezena de doenças potencialmente letais. Graças à vacinação, em 1980 foi possível erradicar a varíola—e agora estamos em vias de erradicar a poliomielite. Apesar das vacinas terem proporcionado tamanha melhoria na qualidade de vida, há anos que o número de casos de sarampo—uma das doenças mais contagiosas que se conhece—vem aumentando. Para reverter essa situação, é preciso que a taxa de cobertura vacinal alcance o índice de no mínimo 95%. Para os profissionais da saúde, esse tem sido um grande desafio técnico e de comunicação.

Estudos mostram que informar sobre a qualidade, a segurança, a eficácia e a disponibilidade de vacinas não tem sido suficiente para mudar a conduta do público perante a vacinação, e que, de maneira geral, transferir essas informações pura e simplesmente não aumenta a cobertura vacinal. Por isso, é necessário compreender as razões que levam as pessoas a não vacinarem a si mesmas e aos seus filhos. Essa compreensão permitirá que se inicie um diálogo bidirecional com base no respeito, o que permitirá que os comunicadores elaborem mensagens melhores e mais eficazes.

Nesse contexto, as orientações deste documento visam, principalmente, equipar o pessoal da saúde com ferramentas que lhes permitam aumentar a eficiência da comunicação com a população geral e aumentar, manter ou recuperar a confiança do público nas vacinas e nos programa de imunização na Região das Américas.

Immunization; Risk and outbreak communication; Strategic Communications; Comprehensive Family Immunization